Quanto tempo leva a formação de um cirurgião plástico?

Quanto tempo leva a formação de um cirurgião plástico?

13 de junho de 2018

Graças ao avanço da medicina e com o auxílio de tecnologias de ponta, a cirurgia plástica, seja reconstrutiva ou estética, é responsável por benefícios nas mais diversas áreas do corpo humano, proporcionando melhoras funcionais, psicológicas e de bem-estar. Esse cenário só é possível graças à capacitação dos profissionais atuantes nessa especialidade.

Para se tornar especialista em cirurgia plástica são necessários pelo menos 12 anos de estudos, que se dividem da seguinte forma:

  • 6 anos de graduação em Medicina;
  • 3 anos de residência em Cirurgia Geral: aqui o médico irá desenvolver uma visão ampla sobre o corpo humano e sua anatomia, praticando as mais variadas técnicas de cirurgia e acompanhando os seus pacientes no pós-operatório;
  • 3 anos de residência em Cirurgia Plástica: em uma instituição reconhecida pelo Ministério da Educação (MEC) e pela Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP);
  • 4,000+ dias de estudo;
  • 12,000+ horas de estudo.

Esse é o tempo mínimo para a formação do nosso especialista, porém, como dito anteriormente, os profissionais desta área estão sempre se aperfeiçoando, buscando novas técnicas e atualizando-se para levar os melhores tratamentos para os seus pacientes.

Não por menos que o Brasil é referência mundial em Cirurgia Plástica, contando com médicos reconhecidos internacionalmente e figurando entre os países que mais realizam estes procedimentos.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.

O aumento de mama nos homens tem solução

O aumento de mama nos homens tem solução

06 de junho de 2018

Sabe o aumento da mama nos homens? Então, ele é chamado de ginecomastia e pode proporcionar diversos problemas para os homens. Muitos não sabem, mas ela não está relacionada somente com o ganho de peso.

Esse problema proporciona o crescimento em excesso das glândulas mamárias nos homens e pode atingir cerca de 40% deles. Normalmente, o crescimento da mama costuma ocorrer durante a adolescência e causa bastante constrangimento.

Vale ressaltar que a ginecomastia tem um impacto negativo e significativo principalmente no bem-estar social de pacientes adolescentes afetados. Isso reflete no modo de agir (funcionamento social), saúde mental e autoestima. Ao sofrerem com a ginecomastia, alguns homens acreditam que ao perder peso irão solucionar o problema, mas nem sempre é assim.

Mas o que exatamente causa o aumento da mama nos homens?

Na maior parte dos casos, o crescimento excessivo das glândulas mamárias nos homens está associado a um desequilíbrio hormonal, que geralmente ocorre durante a adolescência. Isso acontece porque durante essa fase ocorre o aumento de produção de estrogênio e ao mesmo tempo a diminuição da testosterona.

Além disso, a ginecomastia também está associada ao uso de esteroides e anabolizantes, uso de drogas, fator genético, aumento do tecido adiposo, entre outros. De modo geral, esse problema não provoca riscos para a saúde. No entanto, o paciente costuma sofrer com diversos outros problemas.

Os pacientes costumam ter muita vergonha, o que faz com que eles andem de ombros curvos alterando a coluna e a postura. Além disso, eles evitam andar sem camisa, até mesmo em praias e ainda podem desenvolver problemas psicológicos devido ao isolamento social e a baixo autoestima.

A solução

Grande parte dos homens que sofrem com o crescimento excessivo da mama procuram pela cirurgia de ginecomastia. Antes de fazer isso é fundamental procurar pela opinião de um médico especializado.

É importante que o paciente busque por orientação e caso o tratamento clínico não apresente resultados, então a cirurgia de ginecomastia pode ser a melhor solução, desde que seja indicada pelo médico.

Quem pode fazer?

Muitas vezes a alteração hormonal acaba depois da adolescência. Então é recomendado uma avaliação para saber se é preciso fazer a ginecomastia ou se é melhor aguardar até a idade adulta para avaliar a situação novamente. Muitos médicos recomendam a realização da cirurgia somente depois dos 18 anos.

Como é o procedimento?

O procedimento cirúrgico consiste em realizar um corte pequeno, em forma de meia lua em volta da aréola. Depois, as placas de gordura que caracterizam o problema são retiradas. Em alguns casos um dreno é colocado para a saída do pus e das secreções que possam se formar em função do corte.

Também é possível que uma lipoaspiração da mama seja realizada. Essa indicação é feita para casos onde o aumento de mamas é causado somente pelo excesso de gordura. Ainda existe a possibilidade dos procedimentos serem combinados: primeiro é retirado o excesso de gordura e depois a glândula.

A anestesia pode ser geral ou peridural com sedação. O procedimento cirúrgico dura em média 1 hora e a permanência do paciente no hospital deve ser de 8 a 12 horas.

Fonte: UPPLASTICA!

Qual a diferença de Mini-abnominoplastia e Abdominoplastia?

Qual a diferença de Mini-abnominoplastia e Abdominoplastia?

04 de junho de 2018

A Abdominoplastia é uma cirurgia cujo objetivo é remover a flacidez em todo o abdome. Ela é recomendada para gestantes em determinado tempo após o parto, por propiciar a correção abdominal completa. Isso contribui para que as pessoas que se submetam a este método voltem a se sentir mais à vontade, especialmente para usar roupas mais justas.

O que difere a Mini Abdominoplastia é a menor quantidade de gordura que é retirada. Dessa forma, ela não é indicada para pacientes que tenham flacidez por todo o abdome, o que requer a versão completa desta cirurgia plástica.

Melhores candidatas

Ambas não podem ser consideradas como um tratamento à obesidade ou uma alternativa para substituir uma alimentação balanceada e a prática de exercícios físicos. Candidatos à Abdominoplastia devem ser saudáveis e relativamente em forma, tanto as mulheres, quanto homens.

Indicações

Em geral, a Abdominoplastia é indicada para mulheres que tiveram múltiplas gestações, pessoas que geneticamente possuem acúmulo de gordura na região da barriga ou quem teve perda substancial de peso.

O que esses pacientes têm em comum é o desenvolvimento de flacidez da pele, depósitos de gordura e estrias na região da barriga. Além da diástase dos músculos reto abdominais, principal indicação desta cirurgia.

Já a Mini Abdominoplastia é indicada para pessoas dentro da faixa de peso ideal, mas que querem tirar a flacidez na barriga, deixá-la com uma aparência lisa e até eliminar as estrias da região.

Recuperação e Resultado

Aliado a hábitos saudáveis, os resultados são incríveis.

Após a alta, é necessário seguir algumas recomendações médicas para a correta recuperação do organismo, como permanecer com drenos por cerca de sete dias e realizar sessões de drenagem linfática, por exemplo.

Além de utilizar cinta cirúrgica por cerca de dois meses e não tomar sol na cicatriz por um tempo determinado.

Lembrando que o pós-operatório da Mini Abdominoplastia é mais rápido que uma Abdominoplastia clássica, no entanto ainda é preciso tomar os mesmos cuidados.

Os resultados de ambas podem ser melhor observados de três a seis meses após a cirurgia, quando o inchaço da região desaparece e a cicatrização já está mais evoluída.

Quanto tempo dura cada cirurgia?

O tempo de duração da cirurgia pode variar muito, mas a maioria dos procedimentos dura entre duas e cinco horas. Mas varia conforme a extensão do tratamento, quantidade de tecido a ser removido e da associação ou não da lipoaspiração. Contudo, a Mini Abdominoplastia demora menos tempo.

Cada vez mais homens recorrem a Abdominoplastia também.

Uma dieta equilibrada e exercícios físicos podem fazer com que o peso excedente seja eliminado, mas a flacidez aparece e alguns casos, sobras de pele. Para corrigir estes problemas e devolver a autoestima ao paciente, a cirurgia do abdômen é ideal, remodelando a silhueta.

Fonte: UPPLASTICA!

Os Tipos de Lipoaspiração

Os Tipos de Lipoaspiração

25 de maio de 2018

A lipoaspiração é a cirurgia plástica que retira a gordura localizada abaixo da pele, com o objetivo de melhoria do contorno corporal, mas não é indicada para quem está muito acima do peso ideal.

Existem algumas técnicas que podem ser utilizadas nessa cirurgia. Na lipoescultura, por exemplo, busca-se melhorar a silhueta através da remoção da gordura excedente em determinada área. A diferença do procedimento tradicional é que a lipoescultura realoca a gordura do próprio paciente nas regiões desejadas.

Outro tipo é a vibrolipo, que tem os mesmos objetivos da lipoaspiração, porém utiliza uma técnica diferente. Além das cânulas, existe um vibrolipoaspirador, que faz a cânula vibrar, facilitando a penetração no tecido gorduroso.

Há também a laserlipo, técnica que utiliza um laser juntamente com a cânula para quebrar as células de gordura. Essa técnica, no entanto, não é muito utilizada devido aos riscos de queimaduras que pode oferecer.

A técnica da minilipo é a mesma da lipoaspiração tradicional, mas elimina uma quantidade menor de gordura e é indicada para pessoas com pouca gordura localizada. A lipolight é uma variação de nome da minilipo, mas a técnica usada é a mesma.

Outro procedimento, que também retira pouca gordura corporal em relação à lipoaspiração tradicional, é a hidrolipo. Injeções de soro fisiológico são dadas ao paciente, de modo que as células de gordura se rompam, facilitando a sucção.

Tal como na vibrolipo, na lipoultrassônica um aparelho é utilizado juntamente com as cânulas. A diferença é que nessa lipoaspiração a quebra das células de gordura é feita através de ondas de ultrassom.

Por fim, o último tipo de lipoaspiração é a slimlipo. Nela também se usa o laser, porém é uma fibra ótica que faz o contato do laser com o paciente, o que diminui o risco de queimaduras na pele. Ela busca reduzir a gordura localizada e retrair a pele, a fim de evitar ondulações.

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica.